BlackMath e Hackaday

Certa vez me disseram que se eu quisesse ser lido, teria que escrever em inglês e isso é verdade. Apesar das belezas da Última Flor do Lácio, a verdade é que lemos pouco.

Por isso, o projeto “BlackMath” está hospedado agora no Hackaday.io. O código-fonte inicial já está disponível no GitHub, juntamente com a primeira versão da placa de circuito impresso. Ela tem alguns defeitos que já foram corrigidos na segunda versão que também estará disponível assim que um novo lote for fabricado.

Por hora, a solução é usar a inicialização pela UART. Mas os detalhes ficarão lá no Hackaday.




Anúncios

E chegaram as placas!

Depois de uma gestação complicada, eis que chegaram as placas de circuito impresso!

Depois de todo o atraso no projeto da PCI (eu sou fisicamente incapaz de rotear uma placa e precisei recorrer à ajuda dos amigos), procurei por um fornecedor capaz de entregar com a maior rapidez possível. Apesar de morar no “Vale da Eletrônica”, o valor cobrado por aqui era completamente inviável… vejam: estou falando de protótipos e não de uma produção em série.

Não foi difícil achar a AllPCB. No site dos chineses, foi possível fazer uma cotação rápida, sem necessidade de fornecer os arquivos Gerber, informando o tamanho, espessura, número de camadas, cor e por aí vai.

Ao final de tudo, dez placas saíram pela bagatela de US$ 40,00, mais US$ 12,00 de frete e US$ 2,14 de taxas. Não é barato (US$ 4,00 por placa, sem fretes nem impostos), mas bem melhor que por aqui.

Como não poderia deixar de ser, a Receita abocanhou mais R$ 305,73 em impostos… mas, afinal, as únicas certezas na vida são a morte e os impostos.

O pessoal da AllPCB foi muito prestativo, informando que havia uma pequena discrepância nos Gerbers, mas isso não alterou o prazo de dois dias (!) para o envio. E a DHL fez mais uma das suas entregas dentro do previsto.

Ou seja: tudo correu como deveria. E isso, se comparado com os Correios pós-nova-logomarca, já é estupendo!

 

 

Acabei montando as fontes de alimentação antes de soldar o CODEC e o Blackfin. Tudo parece funcionar bem e agora é hora de montar o restante para testar o software.